skip to Main Content
Menu
A Inveja é Uma M!

A Inveja é uma M!

“Inveja não é querer o que o outro tem, isso é cobiça. Inveja é quere que o outro deixe de ter”.

Inveja é um sentimento que todos nós já sentimos alguma, ou algumas vezes na vida. Porém é um dos sentimentos mais negados pela humanidade, quando questionados.

Por que é tão difícil assumirmos que em horas de fraqueza ou fragilidade, desejamos o insucesso do outro?

Porque é muito vergonhoso admitir isso.

Quantas vezes já desejei que lindas mulheres engordassem, que perdessem seus companheiros, que pessoas batessem seus carrões, entre outras coisas?

É realmente vergonhoso colocar isso aqui em público, mas só consigo o fazer, porque hoje tenho consciência disso.

E quando ganhamos consciência de algo, podemos escolher mudar.

Na verdade, escolher o que vamos sentir ou deixar de sentir, seja inveja, medo, raiva, solidão, ansiedade, só com muito trabalho de auto-descoberta e cura. Porém, podemos SIM escolher o que vamos fazer com tais sentimentos.

Se alguém me corta no transito, ao invés de desejar que este sofra um acidente, desejo que ele ganhe paz e tranquilidade para poder dirigir com calma e não tenha que fazer isso novamente.

Se vejo algo no outro que desejo ter, desejo a dele que possa ter te muito mais, e eu também.

Se sinto angustia, raiva, frustração, falo para mim mesma o nome do sentimento que estou sentindo e peço que me mostrem a origem do mesmo. Pois o outro não tem o poder de nos causar nenhum sentimento. O que nos causa a inveja, a raiva, ou qualquer outro sentimento, é algo muito no fundo do nosso ser que ainda dói. Talvez seja um sentimento de incapacidade, mágoa, trauma.

E quando pedimos para vemos o que está causando, temos a oportunidade de lidar com aquilo e até mesmo curamos a dor, para que ela pare de nos incomodar.

Pensem nisso: o outro nada mais é do que um espelho das nossas sombras. Então ao invés de desejarmos o mal à alguém, vamos olhar para dentro e nos libertar da nossa escuridão para que a luz possa brilhar.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *