skip to Main Content

Cont: Como se destacar se a concorrência é injusta…

Como eu havia comentado no artigo da semana passada,
quando comparamos maçãs com laranjas,
conseguimos nos diferenciar da concorrência.

– para aqueles que não o leram, é o artigo anterior a este.

Comentei também que iria dividir com vocês algumas maneiras
de divulgar esse diferencial para o seu público.

Quando falamos em divulgação, geralmente o que vem em mente é publicidade: panfletagem, comerciais em rádio, TV, propaganda em revistas, jornais, etc.
Tudo isso é válido, mas muitas vezes está fora do nosso orçamento, sem mesmo atingir nosso público alvo…

Por isso, hoje vou falar sobre um outro tipo de divulgação…

Hoje em dia, dependendo do seu serviço e do seu mercado,
existem mil e uma maneiras de divulgarmos nosso negócio
com mais criatividade e acertividade.

Vamos usar o exemplo da farmacêutica do artigo anterior…

Se o foco dela são atletas/desportistas, ela poderia por exemplo,
procurar revistas especializadas no setor para colocar um anúncio…

ou, melhor ainda…

escrever artigos sobre a importância dos suplementos corretos
na vida de um atleta, ou qualquer outro assunto de interesse
do seu público que mostre que além de sua farmácia ter o que eles precisam, quem está por trás dela tem conhecimento, criando assim muito mais credibilidade e sem custo com anúncio…

Poderia usar os mesmos artigos em grupos online voltados ao esporte.

Ela poderia procurar organizações, associações de atletas
e oferecer palestras gratuitas sobre o assunto.

Poderia procurar parceiros e promover algum tipo de evento de atletismo, corrida, natação, etc.

Sem nunca esquecer de adicionar depoimentos de clientes satisfeitos, pois “o que os outros dizem de você tem 1000 vezes mais força do que o que você fala de si mesmo”.

E partindo do princípio que conhecemos nosso mercado,
poderemos pensar em muitas outras ações com “a cara” dele.

Uma participante do meu último curso comentou:

“o melhor meio de divulgação hoje em dia, são as redes sociais…”

Aí eu respondi:

“isso se o seu mercado alvo não for a terceira idade, não é mesmo?”

Fica aí para você pensar:

Onde o seu público alvo se encontra?
O que ele lê?
Que tipo de informação ele procura? 
Que tipo de revistas ou sites ele compra ou acessa?
Que tipo de eventos ele participa?

E então, mostre a ele que o seu negócio tem um “gosto” bem diferente do da concorrência, para que a pergunta “Por que eu deveria comprar de você e não do concorrente?” nem passe pela sua cabeça.

Comentários? Faça aqui abaixo… 

Comentários

comentários