skip to Main Content

Fazer para acreditar, ou acreditar para fazer?

Semana passada tive o prazer de dar duas palestras inspiracionais em duas instituições que fazem trabalhos maravilhosos:

CAJEMA-Centro de Amparo aos Idosos Jesus Maria José em São José dos Pinhais e APCN – Associação Paranaense de Apoio à Criança com Neoplasia, em Curitiba.

Um dos motivos que tenho tanto prazer em falar sobre coisas que possam melhorar a vida das pessoas, é que eu também me lembro do que EU preciso fazer para trazer mais alegria e satisfação para a minha vida e negócio!

Uma das dicas que eu falo é “Fingir até acreditar”

Muitas vezes ficamos esperando sermos perfeitos ou acreditar que somos, para agir. Só que na maioria das vezes sem agir, acabamos nunca acreditando.

Por isso o “fingir até acreditar” funciona tão bem!

Se você não se acha competente o suficiente para ter um negócio, finja que é.

Pense nas pessoas que são, e se imagine agindo como elas. Diga para você mesmo, de preferência em voz alta, tudo aquilo que você gostaria de ser, mas como se já fosse.

Ex: “sou inteligente”, “tenho visão de negócio”, “tenho facilidade de me relacionar”, etc

Você entendeu a idéia, né?

No começo é esquisito eu sei. Eu falava VOCÊ, pois não conseguia acreditar em nada daquilo que eu falava… até que um dia sem eu perceber estava falando EU.

Outra dica é usar sua postura corretamente. Andar como uma pessoa confiante cria automaticamente mais confiança. Não que não se precise trabalhar o seu interior!

Pelo contrário! O interno é importantíssimo, pois ele dita o externo. Porém mudando certas atitudes externas, nos ajuda a acreditar que somos sim, quem queremos ser!

Então, faça uma listinha de como você gostaria de ser e se sentir, pessoalmente e como profissional e comece a repetir para você mesmo o mais frequentemente possível.

Lembre-se de que para uma atitude se tornar um hábito é preciso pelo menos 21 dias consecutivos de treino.

“Somos o que pensamos”, por isso, minha sugestão é começar a treinar seus pensamentos para estes te representarem da melhor maneira possível!

Comentários

comentários

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *