skip to Main Content

Você sabe pedir ajuda?

Em resposta ao meu último e-mail com um pedido de ajuda, recebi um email interessante de uma das minhas leitoras, outra Coach Aurea Regina de Sá, da www.treinamentodemidia.com.br.

Ela escreveu o seguinte: “Estou curiosa para saber qual será a mensagem seguinte: imagino que vai escrever sobre a importância de pedir ajuda e citar quantas respostas recebeu.”

Obrigada Aurea, você me inspirou a escrever sobre esse importantíssimo assunto: “a arte de pedir ajuda”.

E por que chamo isso de arte?

Porque  ao contrário do que muitos pensam, pedir ajuda nem sempre é fácil.

Primeiro: muitos acreditam que pedir ajuda é para perdedores. A verdade é justamente o contrário! Para se pedir ajuda, é preciso ter muita coragem. Coragem para enxergarmos que sozinhos não podemos dar conta de tudo e que não PRECISAMOS dar conta de tudo mesmo!

Segundo: quando as pessoas pedem finalmente ajuda, são muitas vezes evasivas. Por exemplo, volta e meia recebo e-mails com currículos pedindo para eu encaminhá-los aos meus conhecidos. Porém não especificam o que exatamente estão procurando. Algumas vezes até colocam “cargo administrativo”, “cargo de gerência”, mas de que exatamente?

Não ficaria muito mais fácil se colocasse por exemplo: cargo na área de marketing de uma grande empresa ou multinacional?

Engraçado que justamente neste final de semana comentei isso com os meus alunos do meu curso que ministrei em Porto Alegre: a importância do foco. De sabermos o que queremos e comunicarmos isso de forma que o outro entenda.

O mais incrível é que a maioria das pessoas está louca para ajudar. O ser humano em geral gosta de se sentir útil ao outro.

Porém se 1: não pedirmos ajuda, e 2: quando pedimos, não formos específicos, estamos dificultando a vida daqueles que poderiam se satisfazer nos ajudando.

Por isso fica aqui a pergunta: você está sendo claro nos seus comunicados? Lembre-se, se tivermos que fazer o outro pensar muito para nos ajudar, ou nos contratar, estamos a meio caminho do insucesso.

 

Comentários

comentários

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *