skip to Main Content

Não venho aqui incentivar ninguém a usar substâncias psicoativas ou ilegais, porém se sua vontade é de fazê-lo ou se já o fez e está com dificuldade de integrar sua experiência, continue lendo….

Psicodélico = Manifestação da Mente

Existem diversas substâncias que tem o potencial de manifestar nossa mente, entre elas Ayahuasca, Cogumelos Mágicos, LSD, Mescalina, DMT, 5-Meo-DMT entre outras.

Algumas consideradas legais no nosso país e outras não.

O uso das mesmas vem sendo feito há milênios, nas mais diversas culturas. Na América do Sul, a Ayahuasca é a mais conhecida e usada.

Elas, a princípio, eram usadas para rituais religiosos, espirituais e de cura. Porém, a contra cultura dos anos 60 as difundiram no meio recreativo, e com isto muitas delas se tornaram ilegais.

Mas mesmo sendo ilegais, elas continuam a ser consumidas no mundo todo, e se não feitas em um contexto adequado, podem trazer consequências indesejadas para alguns.

Com isso, muitos terapeutas no mundo todo, vêm trabalhando com pessoas que já tiveram tais experiências ou que querem ter uma. A experiência em si pode trazer respostas para muitas questões pessoais, emocionais e espirituais, porém se não integradas no cotidiano, acabam se perdendo e assim perdendo seu potencial.

Por este motivo, comecei a trabalhar com tais indivíduos, os auxiliando a entenderem melhor o que se passou durante tais experiências, pois muitos conteúdo acessados em uma vivência são difíceis de se entender. E também me deparei com pessoas querendo ter uma primeira experiência, principalmente com a Ayahuasca, mas com medo de suas consequências. No mundo da Terapia Assistida por Psicodélicos, se fala muito em “Set and Setting”, ou seja, o  estado mental e o contexto onde será ingerida a substância. Esta preparação e integração, segundo especialistas, é tão importante quanto a própria experiência para muitos.

Independentemente da substância usada ou que será usada, nossa conversa é discreta e respeitosa, sem julgamento ou preconceito. E sempre respeitando não só à quem a usou ou usa, mas como a própria medicina também.

Comentários

comentários